Entenda tudo sobre o novo Coronavírus, doença de alta disseminação que assusta a população mundial.

Uma grande epidemia vem assustando a população mundial: o novo coronavírus.

O número de casos confirmados da doença vem aumentando dia após dia, tendo o registo de mais de 5,9 mil pessoas infectadas e 132 mortes confirmadas na China.

Até o momento, o Brasil registrou nove casos suspeitos e 33 notificações de coronavírus.

Esses dados foram divulgados nesta quarta-feira (29), na coletiva de imprensa do Ministério da Saúde.

Os casos suspeitos estão localizados em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Ceará.

Nesta segunda-feira (27), a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SESMG) afirmou a internação de uma jovem de 22 anos com suspeita de contaminação pela coronavírus, em Belo Horizonte (MG).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou o status de risco internacional de contaminação pelo coronavírus, de “moderado” para “elevado”.

Divulgada no início desta semana, a correção sobre a avaliação foi realizada pela própria OMS, que por um “erro de formulação”, havia declarado baixo índice de transmissão da doença que preocupa o planeta.

 

A Origem do Coronavírus

O novo vírus pertence à variação da família coronavírus, grupo que reúne agentes infecciosos que causam síndromes respiratórias como resfriado e pneumonia.

Os primeiros coronavírus foram identificados na década de 1960, segundo o Ministério da Saúde.

Essa variação, conhecida tecnicamente como 2019- nCoV, está infectando diversas pessoas na China e em outros 12 países, entre eles: Estados Unidos, França, Canadá, Emirados Árabes, Austrália. Nepal e outras regiões da Ásia.

O coronavírus pode ser manifestar até por ocorrências mais graves, como os motivadores da Sars (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

Acredita-se que a epidemia da nova forma do vírus tenha se propagado em um mercado de peixe e frutos do mar no centro da cidade de Wuhan, na China. A província é considerada o epicentro do surto.

De acordo com as investigações em andamento, o vírus pode ter origem em serpentes ou morcegos. E o mais curioso é que há especulação de que a ingestão de um desses animais teria ocasionado o surto de coronavírus entre os chineses.

Embora o estudo chinês tenha apontado forte relação do novo coronavírus com cobras, ainda não se sabe sobre a razão originária da doença.

Porém, cientistas e pesquisadores apostam que outro animal possa estar envolvido com esta disseminação viral no território chinês.

O fato é que o coronavírus pode sofrer diferentes mutações e se recombinar, de maneira que novos agentes infecciosos se desenvolvam no organismo.

Em geral, a doença circula entre espécies animais (os hospedeiros) e consequentemente, chegam aos seres humanos através do contato próximo.

Segundo profissionais de saúde, o vírus se assemelha com a gripe H1N1.

“É um processo que tem semelhanças com o que acontece na gripe. Na gripe suína, um porco pegou o vírus de aves e, na recombinação de vírus diferentes dentro do animal, surgiu um H1N1 que conseguiu passar para os seres humanos”, explica o infectologista Celso Granato, do Fleury Medicina e Saúde.

 

Como é Feita a Transmissão do Coronavírus?

O cientista chinês Zhong Nanshan admitiu à rede estatal CCTV em 20 de janeiro de 2020 que a transmissão de pessoa para pessoa foi “provada”.

Segundo o infectologista Leonardo Weissmann, o que ainda precisa ser esclarecido é a capacidade de transmissão.

“O vírus é da mesma família dos coronavírus, mas, por ser novo, não se sabe quão contagioso ele é. Sabemos só que as pessoas foram até o mercado da China. Mas qual é o nível de contágio? Pode ser só via aérea, secreções?”, declara o infectologista.

Mesmo que já tenha ocorrido o contágio de uma pessoa para outra, pesquisadores consideram que o novo coronavírus tenha sido originalmente transmitido para o ser humano através de um animal.

Contudo, existem principais vias de contaminação da doença. De acordo com médicos especialistas, o coronavírus é transmitido pelo ar, por meio de espirro ou tosse, contato próximo a objetos e superfícies infectadas.

Principais Sintomas da Doença

Curiosamente, o vírus recebe este nome por seu formato ser semelhante a uma coroa.

Entre suas manifestações clínicas, o coronavírus podem causar infecção respiratória branda a moderada de curta duração. Os portadores da doença podem sentir sintomas que envolvem dor de garganta, tosse, coriza, dificuldade respiratória e febre hemorrágica.

Quadros de pneumonia são mais comuns em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos.

 

Onde Surgiram os Primeiros Casos do Coronavírus?

A OMS divulgou o primeiro alerta para o coronavírus em 31 de dezembro de 2019, logo após as autoridades chinesas relatar casos de uma suspeita pneumonia na cidade de Wuhan.

A metrópole chinesa com 11 milhões de habitantes, sétima maior cidade da China e a número 42 do mundo.

Como mencionado no início deste conteúdo, a epidemia estava atingindo indivíduos que tiveram algum contato a um mercado de frutos do mar em Wuhan.

Consequentemente, isso acabou levantando a suspeita de que a transmissão do vírus tenha acontecido entre animais marinhos e humanos. Sendo assim, o mercado foi interditado para limpeza e desinfecção.

 

Primeira Morte Confirmada do Coronavírus

Um paciente foi hospitalizado com dificuldades de respiração e pneumonia grave, vindo a óbito após uma parada cardíaca. A vítima primeira vítima da doença foi um homem 61 anos, em 9 de janeiro na China.

Naquele momento, 41 pessoas já haviam sido infectada com o coronavírus.

Medidas Utilizadas para Evitar a Proliferação do Coronavírus pelo Mundo

Na província de Hubei – localizada em Wuhan -, pelo menos dez localidades chinesas interromperam a circulação do transporte público na tentativa de evitar que o vírus se espalhe para outras regiões.

Entre as metrópoles afetadas pela medida preventiva são Ezhou, Huanggang, Chibi, Xiantao, Zhijiang, Qianjiang, Huangshi, Xianning e Yichang.

Diante o estado de quarentena que a cidade de Wuhan se encontra, as autoridades autorizou a construção de um hospital com 1 mil leitos para atender os casos da doença.

O Ministério de Ciência e Tecnologia da China iniciou oito projetos de pesquisa de emergência para ajudar a lidar com o surto de coronavírus no país.

O estado de alerta interferiu nas festividades que seguem o calendário lunar chinês. Pequim cancelou as comemorações de Ano Novo Chinês, que durariam uma semana a partir do dia 24 de janeiro, suspendendo também a entrada de turistas.

Outros países já estão implantando técnicas para reconhecer o vírus. Os EUA anunciaram procedimento de detecção do vírus em três principais aeroportos do país, incluindo um em Nova York em 17 de janeiro.

Além dos americanos, os aeroportos na Turquia, Rússia e Austrália implementaram a utilização de monitores infravermelhos para identificar possíveis casos do coronavírus.

O aeroporto de Heathrow, em Londres, delimitou uma área em um terminal direcionada para viajantes que chegam de regiões já afetadas pelo vírus.

 

Cuidados Básicos para Reduzir os Riscos de Contágio do Coronavírus

Confira a seguir cuidados importantes que podem reduzir os riscos de transmissão e contágio do novo vírus que ameaça a saúde global:

  • Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Até o momento não há vacina disponível ou tratamento específico para a prevenção do coronavírus.

Porém, a Coalizão de inovações em Preparação para Epidemias (Cepi) – grupo internacional para o controle de doenças -, anunciou um fundo para apoiar três programas de desenvolvimento de vacinas contra o vírus.

Mantenha atenção redobrada à sua saúde, proteja-se do vírus que assusta o mundo.

Saiba mais sobre higienização aqui em nosso blog. Sugestões para você!

 

Higienização Hospitalar e as Demais Exigências da Certificação ONA

Saiba como Garantir uma Higienização Hospitalar Segura