Descubra como a desinfecção de ambientes pode proteger sua empresa da ameaça de vírus e bactérias

 

Estamos vivendo uma histórica crise sanitária que movimentou o mundo e tem colocado a saúde humana em risco de maneira alarmante. Como tentativa de conter a curva de contaminação, torna-se imprescindível realizar a desinfecção de ambientes.

O tempo de sobrevivência do novo coronavírus nas superfícies é assustador. Sem contar em todos os ambientes com grande circulação de pessoas, como hospitais, empresas, supermercados, centros de ensino, meios de transporte e condomínios, por exemplo.

Para garantir a proteção adequada, é fundamental seguir as recomendações do Ministério da Saúde sobre quais produtos específicos devem usados para a limpeza e desinfecção de superfícies e ambientes.

Quer saber como limpar e desinfetar os ambientes corretamente e com segurança? Não deixe de conferir nossas dicas a seguir!

 

5 dicas de Limpeza e Desinfecção de ambientes

Diariamente somos expostos a milhares de microrganismos e agentes infecciosos causadores de inúmeras doenças. Eles se alojam em qualquer tipo de local, a espera de um contato direto para agir silenciosamente em nosso organismo.

Afinal, como evitar isso? Por meio da limpeza e desinfecção de ambientes, é possível exterminar toda vida microbiana que encontra-se fixa em superfícies e objetos.

Mas por se tratar de um método técnico e que exige um cuidado especial, você precisa conhecer alguns recursos poderosos na hora de criar uma proteção mais profunda. Olha só!

 

  1. Delimite as áreas de prioridade

O ideal é começar a desinfecção de ambientes mais frequentados, porque o acúmulo de sujeira tende a ser maior diariamente. Como é o caso de corredores de escritórios e salas de reunião.

Os banheiros também deve ser alvo de higienização contínua, por se tratar do cômodo que oferece os maiores riscos de contaminação por parasitos.

No caso de hospitais e centros de saúde, recomenda-se iniciar os processo pelas áreas críticas (maior risco de transmissão de infecções), semi-críticas (baixa taxa de transmissibilidade) e não-críticas (áreas administrativas e de circulação).

 

  1. Tipos de Limpeza

Para deixar um ambiente completamente limpo e seguro, podemos realizar a união de dois procedimentos: a limpeza e a desinfecção.

Ao executar a limpeza de uma área comum, você estará eliminando toda matéria e sujidade orgânica visível aderida nas superfícies, móveis, chão, maçanetas, objetos e tudo aquilo que compõe o ambiente.

Isso vai servir como um preparo para o trabalho da desinfecção.

Embora existam vários tipos de limpeza e higienização hospitalar, os protocolos mais praticados são a limpeza concorrente e a limpeza terminal.

A limpeza concorrente é muito importante porque remove a sujeira de todas as áreas críticas, visando manter o abastecimento e a reposição de consumo diário de itens de higiene de modo a proporcionar ambientes limpos e agradáveis.

Já a limpeza terminal, deve ser realizada periodicamente de acordo com a criticidade das áreas hospitalares. Normalmente é seguida por um cronograma para blindar mobiliários e superfícies da ação bacteriana.

 

  1. Adquira os produtos certos de limpeza e desinfecção

No mercado, existe uma ampla variedade de produtos específicos para a higienização e desinfecção. Mas, o que vale mesmo é optar por aqueles que são regulamentados e certificados pela ANVISA.

Alguns critérios importantes devem ser considerados no momento da compra, como:

  • Verificar a natureza da superfície a ser limpa ou desinfetada. Porque há tipos de materiais que não podem sofrer corrosão ou ação química;
  • Identificar o grau e tipo de sujidade, para definir a melhor forma de eliminação;
  • O mesmo acontece com o tipo de contaminação. Deve-se observar os microrganismos envolvidos, se existe a presença – ou falta – de matéria orgânica;
  • Por fim, precisa-se analisar o tipo de equipamento e acessórios que serão utilizados.

Cada finalidade exige uma propriedade diferente, e os produtos variam conforme o setor a ser trabalhado.

Ou seja, a substância ativa indicada para indústrias é diferente da direcionada aos hospitais, e assim por diante. O tipo de superfície a ser tratada é o que vai definir os materiais de limpeza.

Um dos produtos mais utilizados é a água sanitária, uma solução de hipoclorito de sódio 2,5% indicada para a limpeza de superfícies e pisos. Além disso, o álcool 70% em gel ou líquido, devem ser disponibilizados para que colaboradores e clientes, façam a higienização das mãos corretamente.

 

  1. Não esqueça dos EPIs

Assim como as pessoas que frequentem o local precisam ser protegidas diariamente, os profissionais de limpeza e desinfecção de ambientes devem receber todo o suporte para sua proteção individual.

Dessa forma, devem ser usados:

  • Luvas de borracha

Evita que as mãos tenham contato direto com os produtos químicos e também com os agentes infecciosos. Seu uso é dividido em duas colorações:

Verde: usadas nas superfícies onde a sujidade é maior. Exemplos: lixeiras, pisos, banheiro, rodízios de mobiliários, janelas, tubulações na parte alta, etc.

Amarela: usadas em mobiliários, como mesa, cadeiras, paredes, portas e portais, pias, cama de pacientes, entre outros.

  • Avental 

Protege a roupa contra umidade.

  • Óculos de proteção ou protetor facial

É indicado para quando houver risco de contaminação por secreções, aerossóis e produtos. Além disso, protege os olhos do impacto de partículas volantes, de respingos de material biológico ou substâncias químicas.

O óculos deve ser confortável, transparente e possuir boa vedação.

  • Máscara

É projetada de forma ideal para cobrir a boca e o nariz, para evitar a exposição às secreções respiratórias que possam acontecer pela transmissão de gotículas de saliva, por exemplo.

  • Botas

Indicada para as atividades de lavagem, em geral. Profissionais que realizam a higienização hospitalar, devem utilizar as de cano longo.

 Um reforço deste tipo de proteção individual é a higienização constante das mãos, com água e sabão, e álcool em gel.

 

  1. Coleta de lixo

O protocolo de coleta de lixo para a limpeza e desinfecção de ambientes, denomina as seguintes práticas:

  • Recolher o lixo antes de qualquer tipo de limpeza;
  • As lixeiras deverão ser esvaziadas ao atingir 2/3 de sua capacidade;
  • Lavar as lixeiras diariamente e sempre que necessário;
  • O lixo deve ser recolhido sempre que for necessário;
  • Manter os recipientes de lixo em locais afastados do tráfego de pessoas.

 

Se caso houver derramamento de resíduos no piso ou em outra superfície, deverá ser removido imediatamente. E em seguida, proceder a técnica de limpeza juntamente com a desinfecção do ambiente.

DICA BÔNUS!

Você sabia que a limpeza e desinfecção devem acontecer em um único sentido?

Jamais faça movimentos circulares ou de vai e vem, porque isso pode acabar espalhando os microrganismos e matérias orgânicas por todo o ambiente, contribuindo para o efeito contrário destes métodos de proteção.

Sendo assim, recomenda-se iniciar o processo de desinfecção pelas paredes, vidros, superfícies, objetos e por último, o piso.

Faça a desinfecção de ambientes periodicamente e evite a contaminação por vírus e bactérias!